síndrome metabólica

O que é síndrome metabólica?

A síndrome metabólica é um conjunto de doenças que elevam o risco de problemas cardiovasculares, como infarto e derrame. Associadas à obesidade, essas doenças se caracterizam pelo acúmulo de gordura abdominal, diabetes, pressão, colesterol e triglicerídeos altos.

Essa associação, também conhecida como síndrome da resistência insulínica, apresenta outras doenças relacionadas, como a síndrome dos ovários policísticos, esteatose hepática de causa não-alcoólica, albumina na urina e ácido úrico elevado.

Causas

A síndrome metabólica tem como base a resistência à insulina, um processo que se desenvolve devido ao aumento de peso ou à diabetes tipo 2. A causa predominante é o ganho de peso, que ocorre como resultado de uma alimentação inadequada e sedentarismo, o que eleva a pressão arterial e produz alterações no colesterol e triglicérides.

Fatores de risco

Além da obesidade e do sedentarismo, fatores de risco que podem desenvolver a síndrome são:

  • intolerância à glicose;
  • hipertensão arterial;
  • altos níveis do colesterol ruim (LDL) e baixos níveis do colesterol bom (HDL);
  • tabagismo;
  • histórico familiar de cardiopatia, entre outros.

Sintomas

Os sintomas que indicam síndrome metabólica estão relacionados às doenças associadas. Quase todos têm desdobramentos e representam fatores de risco para doenças cardiovasculares graves. Alguns deles são:

  • sobrepeso: causa fadiga, dor articular e nas juntas, apneia, gordura abdominal, perda da libido nos homens e ovários policísticos nas mulheres;
  • colesterol: causa tontura e elevado risco de infarto e derrame;
  • hipertensão: causa dor de cabeça, mal-estar e cansaço;
  • diabetes e glicemia: causam boca seca, perda de peso e urina em excesso;
  • sinais do corpo: ocorrem manchas escuras na pele e pescoço, e crescimento da papada.

Diagnóstico

Para o diagnóstico, é necessário que o indivíduo apresente, ao menos, três dos cinco sintomas seguintes:

  • obesidade central;
  • hipertensão arterial;
  • glicemia de jejum alterada ou diagnóstico de diabetes;
  • nível de triglicerídeos maior que 150 mg/dl;
  • colesterol LDL alto e HDL colesterol baixo.

São realizados exames físicos, anamnese sobre hábitos de vida e histórico familiar e exames de sangue que avaliem o funcionamento do fígado e rins, e exames hormonais.

Tratamento e prevenção

O tratamento se inicia pela mudança dos hábitos de vida.

É necessária uma dieta balanceada e saudável, rica em fibras, frutas, verduras e vegetais, carne magra, pobre em sal, gorduras saturadas e açúcar.

A prática regular de exercícios físicos ajuda a manter o peso, controlar colesterol e a pressão arterial. Em alguns casos, será preciso o uso de medicamentos e cirurgia bariátrica, no caso da obesidade.

Se você apresenta esses sintomas ou está dentro do grupo de risco, fique alerta e consulte-se com o médico para identificar ou descartar a síndrome metabólica, ajustando o tratamento mais adequado para você, se for o caso.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como endocrinologista no Rio de Janeiro!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp