Está na dúvida se a cirurgia bariátrica é para você?

A informação mais importante está lá no final do texto. Boa leitura!

Durante o acompanhamento de pacientes com obesidade é muito comum que essa dúvida apareça no meu consultório. Com frequência as pessoas enxergam na bariátrica a “solução dos seus problemas” ou a “ultima esperança” para perda de peso. No entanto, é importante entender quais são as vantagens e as desvantagens desse tipo de tratamento e se você realmente está preparado para isso. 

O que é a chamada Cirurgia Bariátrica?

Chamamos, no geral, o tratamento cirúrgico para obesidade de Cirurgia Bariátrica. Porém é preciso entender que existem 3 técnicas cirúrgicas que podem ser realizadas: o bypass gastrico, a gastrectomia vertical ( chamada também de “sleeve”) e o duodenal switch. As 2 primeiras são as mais comuns no Brasil. Cada técnica tem suas indicações e particularidades que não vale a pena detalhar aqui mas, basicamente,  a primeira opção tem maior perda de peso e melhores resultados metabólicos porém com maior chance de desnutrição se não houver acompanhamento regular. 

Para quem está indicada?

As indicações formais são: idade acima de 18 anos ( preferencialmente até os 65 anos), estar com IMC (índice de massa corpórea) > 40 kg/m2 ou > 35 kg/m2 se houverem outras comorbidades associadas que reduzam a sobrevida ou a qualidade de vida do paciente. Dentre as comorbidades podemos citar: hipertensão arterial, diabetes, colesterol alto, doença hepática gordurosa (esteatose hepática), apneia do sono, artrose de joelhos/quadril, depressão…

Importante ressaltar que esta é uma opção para aqueles cujo o tratamento clínico otimizado por pelo menos 2 anos de acompanhamento não obteve resultado satisfatório. 

O que EU considero o mais importante nessa avaliação?

Bom, explicado os conceitos acima precisamos desmistificar algumas ideias. O tratamento cirúrgico para obesidade é uma das opções de tratamento dentro das possibilidades que temos atualmente. Não é a ÚLTIMA e nem a ÚNICA opção para o seu caso.

O acompanhamento médico regular é fundamental para o sucesso do tratamento assim como a terapia multidisciplinar incluindo psicólogo, nutricionista, educador físico. Na avaliação pré operatória será necessário um parecer tanto do endocrinologista quanto do psicólogo/psiquiatra para a exclusão de comorbidades psiquiátricas não tratadas que influenciem diretamente na sua relação com a alimentação ( ex: compulsão alimentar, alcoolismo, depressão/ansiedade). 

A avaliação clinica pré-operatoria vai levar em consideração todas as indicações formais acima porém cada decisão será individualizada considerando vários outros fatores que só podem ser avaliados em consulta. O MAIS IMPORTANTE é entender que VOCÊ TERÁ QUE MUDAR! Fazer mudança de estilo de vida, ter acompanhamento com nutricionista, manter atividade física regular, cuidar da sua saúde mental e manter o uso de suplementos e polivitaminicos será sua rotina PARA SEMPRE. Isso fará com que a chance de reganho de peso pois bariátrica seja bastante reduzida e que o sucesso do tratamento seja atingido. 

Não esqueça…

Concluindo, não é simples e muito menos “mais fácil” emagrecer com cirurgia como você já deve ter ouvido de pessoas ignorantes falando por aí. É preciso coragem e determinação para encarar o tratamento cirúrgico. Se você tem dúvidas, o melhor a fazer é conversar com seu médico sobre essa possibilidade e esclarecer bem todos os pontos. 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como Endocrinologista no Rio de Janeiro.

Fonte: Guia para entender o tratamento com Cirurgia Bariátrica e Metabólica – Departamento de Cirurgia Bariátrica; ABESO.

https://abeso.org.br/wp-content/uploads/2022/04/Ebook-Cirurgia-Bariatrica_Abeso-1.pdf

O que deseja encontrar?

Compartilhe