diabetes

Entenda quais são os tipos de diabetes

O diabetes afeta mais de 13 milhões de pessoas no país, de acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). Apesar disso, muita gente ainda desconhece a enfermidade e suas variações.

Neste texto, falaremos sobre os diferentes tipos da doença e como ela é adquirida. É importante ter esse conhecimento para auxiliar na promoção de hábitos saudáveis que afastam o risco de desenvolvimento da doença.

O diabetes se manifesta em tipos diferentes porque mais de um fator pode alterar o funcionamento e a produção da insulina. Por isso, a doença crônica afeta pessoas de todas as faixas etárias.

Diabetes tipo 1

O tipo 1 da diabetes é caracterizado pela falta de produção de insulina pelo pâncreas ou pouca produção. Uma das causas prováveis é a questão genética. Em alguns indivíduos, o sistema imunológico ataca as células beta, células especiais que produzem insulina, impedindo o controle do nível de glicose.

Essa forma da doença é comum em crianças e adolescentes. Apenas 10% dos diabéticos são do tipo 1. O tratamento necessário é feito à base de insulina, remédios, controle da alimentação e prática de atividades físicas.

Diabetes tipo 2

Esse é o tipo mais comum. Afeta cerca de 90% dos diabéticos. É caracterizado pela dificuldade do corpo em usar a insulina produzida pelo pâncreas para controlar a glicemia. O mau funcionamento também pode ser do pâncreas, que produz insulina insuficiente.

O tipo 2 é comum em adultos e está intimamente ligado a hábitos não saudáveis. Obesidade, sedentarismo, cigarro, má alimentação e vida estressante contribuem muito para o aparecimento da condição.

Diabetes latente autoimune do adulto (LADA)

De acordo com a SBD, o diabetes latente autoimune do adulto (LADA) é um tipo intermediário. Apresenta as características do diabetes tipo 1 porém seu diagnostico é feito em idades mais avançadas, acima dos 20 anos por exemplo até mais tarde. 

Diabetes gestacional

Por último, mas não menos importante, existe o diabetes gestacional. Como o nome indica, é adquirido por mulheres grávidas no período de gestação. A situação é ocasionada, entre outras coisas, por desequilíbrios hormonais.

Os riscos são para a mulher e para o bebê e incluem maior chance de má formações fetais, parto prematuro, hipoglicemia no recém nascido, aumento da quantidade de liquido amniótico na gestação (polidraminia) ou crescimento exagerado do feto. Bebês com mais de 4 kg podem apresentar dificuldades na hora do parto. 

É de extrema importância o acompanhamento pré-natal adequado, o diagnóstico precoce e o tratamento bem de perto com seu Endocrinologista e Obstetra.

Importância do diagnóstico precoce

Todos os tipos do diabetes têm tratamento. Desde que o diagnóstico seja feito prematuramente, é possível ter uma vida completamente normal e com limitações mínimas.

Por causa disso, ao sentir algum sintoma incomum, como sede excessiva, perda de peso sem justificativa ou visão turva, um especialista deve ser procurado.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como  endocrinologista no Rio de Janeiro!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp